Esforço estratégico e sincronizado com foco no objetivo de existir.

Investir em design antes considerado luxo e até despesa, hoje faz parte do dia a dia de qualquer empresa ou pessoa, que se apresente como uma marca e queira participar do mercado, não é mais questão de diferenciação, chega a ser uma obrigação.

Talvez esse seja o motivo do mal do século e as crises de ansiedade, o que fazer para existir. Mas isso é assunto para um outro post. Não precisa se afobar, pois acredito que você já saiba o que deve ser feito.

Sim estamos falando de Branding, de uma forma bem mastigada, para que fique claro o que é, e a sua importância.


Entende-se por Branding, o controle de todos os pontos de contato que o cliente possui com a marca, com isso, é possível potencializar uma das variáveis mais importantes quando falamos de valor de marca, as experiências. São elas que criarão uma memória afetiva e uma relação duradoura entre o cliente e a marca.

A Identidade Visual é um dos pilares mais importantes dessa estrutura, é o rosto, a imagem, a persona e um excelente ponto de partida na construção da essência. À partir desta essência é possível criar e tomar decisões que lapidarão a personalidade da marca: o cheiro, a voz, o tato, o comportamento, as atitudes e a visão de mundo.

Exemplo de identidade visual:

Projeto do Santa Gela feito pela Guash Arts

Experiências que a marca proporciona:

Projeto de Branding do Santa Gela feito pela Guash Arts — http://guash.com.br/portfolio/santa-gela/

Quando todos os envolvidos que fazem parte do corpo da marca como, recursos materiais, humanos e sensoriais desempenham seu papel em um esforço conjunto e direcionado com o objetivo de ser, a meta de existir é alcançada. Assim nasce uma marca forte, capaz de conquistar, se posicionar, fidelizar e fazer toda a diferença.

Marco Mendonça – 2019

Publicado originalmente por Marco Mendonça no Medium. Aqui